ATUALIZAÇÕES E COMPLEMENTOS À LEITURA

 


  CAPÍTULO 1 - navegação PRECISA EM TEMPO REAL 

Pág.29 - último parágrafo - Onde se lê 8,2 nós / 31,23 m / waypoint 0009, leia-se 6,2 nós / 31,43 m / waypoint 0001.

Pág.31 - Leitura complementar do item 1.1.8 - LIMITAÇÕES DOS GNSS > VULNERABILIDADES DA NAVEGAÇÃO POR SATÉLITES


  CAPÍTULO 2 - ACOMPANHAMENTO AUTOMÁTICO DE EMBARCAÇÕES

ABALROAMENTO NO GoLFO PÉRSICO (2012)

aBALROAMENTO NO eSTREITO DE cINGAPURA (2013)

 


  CAPÍTULO 3 - NAVEGAÇÃO INTEGRADA

Pág. 145 - 3.2.1 - ESQUEMA DE SEPARAÇÃO DE TRÁFEGO (EST).

Geralmente um Esquema de Separação de Tráfego contém regras específicas indicando que, em certas situações, deve ser cumprido o RIPEAM, de acordo com o exemplo da figura abaixo.

- O navio A deve manobrar (guinar, reduzir ou aumentar a velocidade) a fim de evitar a colisão com o navio C, que cruza a faixa de tráfego perpendicularmente de acordo com as regras do EST, mas tem preferência de acordo com o RIPEAM.

- O navio C deve reduzir ou aumentar a velocidade  a fim de evitar a colisão com o navio B, que tem preferência de acordo com o RIPEAM. O navio C deve evitar guinar, já que deve cruzar a faixa de tráfego perpendicularmente, de acordo com as regras do EST.

- Caso o navio C resolva adentrar e navegar pela faixa de tráfego do navio A para aguardar uma ocasião mais favorável  para cruzar as duas faixas, tal entrada não poderá ser feita perpendicularmente.  

- Caso exista a situação de o navio C estar em rumo de colisão com ambos os navios (A e B), ou outra situação especial, recomenda-se que a manobra seja combinada por meio da fonia VHF.

   

-----------------------------------------------------------------------------

Pág.154 - figura 3.25 - Retirar a sigla ARPA do quadro branco da linha 3. 

 

 


  CAPÍTULO 4 - navegação segura e protegida 

As seguintes conclusões sobre as causas do acidente, retiradas do Relatório Final do Acidente com o Navio de Passageiros Costa Concordia, respaldam e complementam o contido no item 4.1 - Navegação Segura:

1 - Mudança de um rumo perpendicular para um rumo paralelo extremamente perto da costa , impedindo que a guinada fosse feita de forma suave e com maior espaço para a manobra;
2- Escolha do litoral interior ao sul da ilha, uma zona quase desabitada e com iluminação escassa, como ponto de referência para a guinada, quando tinha disponível o ponto notável o recife Scole, situado próximo às luzes da cidade de Giglio;
3 - Manutenção de alta velocidade (16 nós) para uma condição de navegação noturna muito próxima da linha de costa;
4 - Utilização de cartografia inadequada, utilizando carta na escala de 1:100.000, quando deveria utilizar pelo menos uma carta na escala de 1:50.000 (o navio não a possuia pelo fato daquele trecho não fazer parte da derrota regular), além de não fazer uso de publicações náuticas;
5 - Manutenção do radar e do ECDIS em escalas inadequadas;
6 - Não houve passagem formal da manobra entre o Mestre e o Comandante;
7 - O fechamento total do Passadiço por janelas de vidro não permitiu a verificação visual da situação exterior, nem foi dado o tempo necessário para que o Comandante adaptasse sua vista para o cenário noturno, o que poderia ter permitido que o mesmo avistasse algum indício de perigo;
8 - Desatenção e distração do Comandante devido à presença de pessoas estranhas ao serviço no Passadiço e manutenção de fonia com chamadas não relacionadas com a navegação;
9 - As ordens de manobra do Comandante, além de sistematicamente mal interpretadas pelo timoneiro, foram dadas em termos “rumos a seguir”, quando deveriam ser dadas em termos de “ângulos de leme”;
10 - A Equipe do Passadiço, embora composta por um número mais que adequado de componentes, não prestou a atenção necessária à manobra (posição, rumo e velocidade do navio) e à vigilância;
11 - O Comandante tomou uma decisão arbitrária ao rever o plano de navegação inicial, tornando-se bastante perigosa a inclusão de um trecho de 0,5 quilômetros da costa, usando uma carta náutica de escala inadequada, não considerando corretamente a distância da costa e não contando com o apoio de Equipe do Passadiço; e
12 - A Equipe do Passadiço em geral manteve uma atitude passiva, não parecendo que alguém tenha sugerido que o Comandante aumentasse a velocidade ou o tenha alertado sobre o perigo iminente.

...

Pág.173 - quarto parágrafo - Onde se lê pág.40, leia-se pág.44.

Pág.174 - quadro ATENÇÃO - Onde se lê (figura 4.8), leia-se (figura 4.6).